Google+ Followers

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Um pouco de História da família Manhães



Quem foi Benta Pereira?

 
Qualquer visitante à cidade Campos de Goytacazes, no norte fluminense descobre ruas, escolas e demais logradouros públicos freqüentemente batizados com um nome de mulher: Benta Pereira. Perguntando aos campistas, cidadãos comuns, que poderiam ser nossos vizinhos, profissionais liberais, comerciantes em diversos ramos, gente que lê jornal e tenta votar conscientemente, fiquei pasma ao descobrir que ninguém tinha uma boa noção sobre esta mulher, cujo nome aparece com suficiente regularidade para que se indague se não haveria alguma importância local, ao invés simplesmente da “ deve ter sido mãe ou mulher de político antes do meu tempo.”
Nome completo: Benta Pereira de Souza. Heroína local. Uma senhora que viveu no início do século XVIII. Nasceu em 1675 e morreu aos 75 anos, em 10 de dezembro de 1760. Filha do Padre Domingos Pereira Cerveira com Isabel de Souza. Casou-se com Pedro Manhães e com ele teve seis filhos que criou sozinha depois de enviuvar. Era uma mulher de muitos bens e sozinha não só gerenciou a fortuna deixada pelo marido e como educou os filhos.
Aos 72 anos de idade, Benta Pereira montou num cavalo e armada liderou uma revolta contra o 3º Visconde de Asseca, Diogo Corrêa de Sá, donatário da capitania da Paraíba do Sul. Ela lutava não só pela liberdade de suas terras, cujas delimitações haviam sido infringidas pelos viscondes, como contra os pesados impostos requeridos pelo donatário. Criadora de gado bovino numa terra que se transformava em um grande canavial com a exploração do açúcar, Benta Pereira, ladeada por sua filha Mariana de Souza Barreto, lutou sem descanso até conseguir a expulsão dos Assecas da capitania. Lutou pelas terras que havia herdado de seus antepassados que por sua vez as receberam em 1627 das mãoo do governador Martim Correa de Sá em reconhecimento pelo corajoso desempenho destes homens nas lutas contra os guerreiros Goitacás.
Quase cem anos foi o período de lutas violentas entre os Asseca, cujo título havia sido criado pelo rei de Portugal para apaziguar lutas familiares na casa de Bragança e os herdeiros dos Sete Capitães (Miguel Aires Maldonado, Miguel da Silva Riscado, Antonio Pinto Pereira, João de Castilhos, Gonçalo Correa de Sá, Manuel Correa e Duarte Correa). As terras em questão, que estavam próximas da Lagoa Feia até a Ponta de São Tomé e que pertenceram originalmente a Pero de Góis da Silveira que acompanhara Martim Afonso de Souza em 1530, haviam sido dedicadas à criação de gado desde 1633 quando currais foram levantados.
É verdade que mais tarde os Viscondes de Asseca ainda conseguiram retomar as terras, sob ordem do então governador do Rio de Janeiro. Mas a festa durou pouco. Os colonos, herdeiros de terras e pessoas comuns já haviam sentido o gosto revolucionário, o gosto de uma independência ainda que tardia, sob o comando de Benta Pereira. E os Viscondes de Asseca, enfraquecidos, logo, logo perderam suas terras. Em 1752 a capitania da Paraíba do Sul foi incorporada à coroa portuguesa.
 
Campos dos Goytacazes

31 comentários:

  1. Otimo,ficou muito bom.O esposo de Benta Pereira era Pedro Manhães Barreto.Agora estou tentando descobrir onde entra o nosso Bisavo Francisco Manhaes da Boa Morte e nosso Avo Manoel Manhães.Lá UM POUCO DE MIM,vc nasceu em São João de Meriti-Rj.Futuramente vou ver se reuno os filhos de nosso Tios.Pelo Menos.Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá eu também tenho sobrenome manhaes e moro em São joao de meriti também e minha família na vdd toda tem manhaes tradução eu e minha família e continuação de vdd pq muito se casao com manhaes e se torna mais minha família já e a muito tempo meu avo fala que o avo dele já tinha o manhaes na família mas enfim se quiser mem chama so mem pedi amizade no facebook https://www.facebook.com/joaopaulo.manhaes.5 beijo tchau

      Excluir
    2. Olá meu sobrenome é manhães minha falecida vó veio de Campos quando nova tel para contatos para poder descobrir mais sobre minha família
      974282711

      Excluir
    3. Olá meu sobrenome é manhães minha falecida vó veio de Campos quando nova tel para contatos para poder descobrir mais sobre minha família
      974282711

      Excluir
    4. Tem uma rua em Quissamã com o nome parecido com o do seu Bisavô... Talvez tenham errado ao colocar no mapa ("google"): Francisco Manhães da Boa Sorte (e não Morte)... Ela passa ao lado de uma praça chamada: Erval Manhães de Azevedo.
      Coordenadas: -22º05'50.78",-41º08'27.70".

      Luiz Manhães - lc.manhaes@gmail.com

      Excluir
  2. Você esqueceu que nasci na Avenida Venezuela na Promatre na Praça Mauá? Espero que agora vc lembre. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. decendo de meu bisavo pelegrino manhaes de morro do coco em campos ele perdeu 2 filhos gemeos afogados no rio itabapoana e mudou para sao manoel mg meu nome e isismanhaes silveira

    ResponderExcluir
  4. Sou casado com Elenita Manhães, filha de Domingos Manhães e neta de João Manhães de Baixa Grande, Campos-RJ. Vc sabe de alguma relação entre os Manhães de Campos e os de origem suíça de N Friburgo-RJ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe a demora em responder mas tive que resolver alguns problemas particulares a somente agora li seu comentário e voltei a ativa no blog. Não sei de alguma relação com os Manhães de Nova friburgo só sei que meu pai falava que o avô dele era da Holanda. Abraços

      Excluir
    2. O nome do meu bisavô era Domingos Manhães!!!

      Excluir
    3. O nome do meu bisavô era Domingos Manhães!!!

      Excluir
  5. Oi meu nome é André Dominhgues Manhães ,quando mãe casou pegou todo o nome de minha avó Izabel Domingues Manhães, vovó veio de Campos, eu eu queria saber um pouco mais sobre o nome da família , se houver possibilidades saber sobre os Brasões tambem.de ante mão obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi André desculpe a demora em responder, mas vou procurar saber mais e depois entro em contato com você.

      Excluir
  6. Cristina Manhaes. Sou neto de Dna. Olivia Manhães de Gusmão e Otá-
    vio Cezar de Gusmão. Sou José Tiago de Gusmão Campos. Natural do Rio Janeiro e moro em Vitória/ES. Não tive muita informação da fa-
    milia a miha mães morreu eu tinha 8 anos. Conheci em Campos tia que que e Tia Azinha, e Aniata. Tenho tido contato com Josete Ma-
    nhaes por telef. meu gmail Tiagoenorma@gmail.com. Um abrço de Tia-
    go Gusmã.

    ResponderExcluir
  7. Meu nome é Ricardo Manhães Seabra, moro em Brasília - DF, neto de Augusto Manhães ( originário de campo/ RJ)

    ResponderExcluir
  8. Eu sou Wilka Manhâes Duque de Caxias RJ, meu avô Pio Manhães, originário de Campos, gostaria de saber se pertencemos a mesma família Manhães, meu avô era da indústria de vidros, possuía uma fábrica, porém não cheguei a conhecer, também não conheço os familiares de Campos.

    ResponderExcluir
  9. Sou Pablo Manhães, neto de Ercilio Ignácio Manhães, que saiu de Campos /RJ e fixou moradia em Rio Bonito na década 30. Minha mãe não lembra muito pois quando ele faleceu ela tinha 8 anos. Gostaria de saber mais sobre os antepassados dele.

    ResponderExcluir
  10. Sou Isabela Santos Coelho, neta de Maria da Conceição dos Ramos Manhães e Ananias Coelho. Meus avós paternos eram de Campos-RJ/Santa Maria.

    ResponderExcluir
  11. Ola, sou Louise e minha mãe se chama Zulma Manhães Santos meu avô João Manhães cuja origem é em Campos, minha mãe se refere a um tio de meu avô cujo nome era Manoel Manhães e outro chamado de João Manhães. Deixo meu email para contatos- louisesilva@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. Sou bisneta de Pelegrino Manhaes,pelo lado paterno,ele foi para Eugenopolis,MG,vindo de Morro do Coco,distrito de Campos dos goitacases,era pai de minha avó,Constantina Manhaes.

    ResponderExcluir
  13. Meu nome é Sonia meu falecido pai era de campos e tinha sobrenome Manhães o nome dele era Augusto Manhães dos santos ele deixou muitos parentes lá quando vei para o rio de janeiro,eu gostaria de saber o paradeiro de todos

    ResponderExcluir
  14. Meu face Sonia.msantos@bol.com.br

    ResponderExcluir
  15. Tem alguém Manhaes Barreto ?

    ResponderExcluir
  16. Tem alguém Manhaes Barreto ?
    Montaram em Sorocaba indústria de destilados
    Teresa 15 997179890

    ResponderExcluir
  17. Oi, Família Manhães!
    Meu nome: Luiz Carlos Manhães dos Santos... Nasci em Correntezas - Campos RJ... Minha Mãe: Neli Manhães... Minha avó materna: Antônia Manhães (Tenho cópia da certidão de casamento... Nasceu em 1914) e meu avô materno: Nataniel Manhães Nogueira (Nasceu em 1906... eles eram primos) e moravam no Caboio, que é vizinho de Correntezas... Se não me engano, ambos eram sub-distrito de Santo Amaro. Na certidão de casamento consta que eram naturais deste estado!... Não garante que eram de Campos!... Mas a princípio eram!
    Meus bisavôs, não conheci!... Bisavós por parte de meu avô: José Manhães de Sousa e Maria da Conceição de São José. Bisavós por parte de minha avó: Antônio Feliciano de Souza e Luzia Manhães de Souza.
    Foi testemunha do casamento: João Pereira Manhães.
    Há pouco tempo, conheci João Batista Manhães... Ele me falou que tem uma senhora parente dele (talvez nossa), que mora em Guarapari ES e que tem muito conhecimento da Família... Ficamos de combinar uma data para visitá-la para conversar!... Através dele soube que a família teria chegado e se alojado em Quissamã (onde mora a Cristina) e que tinha uma praça com o nome de um dos irmãos que migraram... Pesquisei no "google" e decobri que a praça chama-se: Erval Manhães de Azevedo. Tem uma rua ao lado da praça que chama-se: Francisco Manhães da Boa Sorte... Pertence a Quissamã, mas está longe da cidade, à beira da barra do rio que liga o mar à Lagoa Feia... Perto da localidade de Pau Grande. Conhece, Cristina?
    O João Batista me falou que a família teria vindo da França, para escapar da I Guerra Mundial... Mas, pela data de nascimento de meu avô que foi 1906, não bate!
    Estava pensando em programar para ir a Quissamã, para ver se existe alguma biblioteca que tenha informações, ou pessoas da família!... Não existe nada escrito, Cristina?
    Passei por aí, pela primeira vez, no ano passado, vindo de Macaé... Queria conhecer, mas não sabia de nada disto!... Cheguei ao Farol e no final do dia, voltei para Campos.
    Moro há 38 anos em São Mateus ES (quase divisa da BA) e estou aposentado.
    Se alguém reconhece algum dos nomes citados e quiser fazer contato: lc.manhaes@gmail.com - (27) 99974-4055 - Vivo - "Whatsapp"... Sou mais conhecido como Manhães!
    Valeu!!

    ResponderExcluir
  18. Boa noite a todos da família Manhães!
    Meu nome é Ricardo Manhães de Araújo e minha avó materna Alzira Manhães era de Campos e estou atrás de informações dessa origem.
    Na década de 1930 ela gerou seus filhos Conceição, Marli, Antônia, Antônio, Paulo, Geraldo, Antônio e Genilson todos com o sobrenome Manhães de Carvalho que migraram para o Rio de Janeiro, menos o Antônio.
    Gostaria de maiores informações, pois soube que Alzira pode ser irmã de Olendina que viveu em Campos, próximo ao Morro do Côco em Campos.

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Faço parte de um dos ramos da árvore dos Manhães, que de tantos galgos que tem, parece mais uma floresta formada no norte fluminense em terras tomadas aos índios Goytacases.
    Conta a lenda que meu bisavô era descendente dos donos originais da terra, minha mãe Zenir Manhães e minha tia Zenira Manhães e meu tio Amaro Manhães chamavam-no de Papai Velho. Meus avós são: Juvenal Manhães e Umbelinda Manhães. Zenir e Zenira, talvez Amaro, nasceram em Conselheiro Josino, perto de Morro do Coco, distrito de Campos, onde meu avô Juvenal tinha uma fazenda. Na década de 40 do século passado, quando minha avó morreu, creio eu, Juvenal Manhães vendeu a fazenda em Conselheiro Josino, e foi para o norte do Paraná (Maringá), comprando umas terras griladas por Moisés Lupion (era o boom do café). Lá teve um filho e duas filhas.
    Tendo perdido no Paraná o dinheiro, as terras e quase a vida, retorna a Campos, com os filhos paranaenses, compra uma chácara e monta uma Loja (Venda caipira) no distrito de Santa Maria, que funcionou até o final da década de 50, inicio de 60 do século passado.
    Juvenal Manhães tinha um cunhado chamado Átila, casado com uma senhora conhecida como Dona Mingota. Eles tinham um casal de filhos: Amaro e Zenith. O Átila administrou uma fazenda em Barra de São João, distrito de Casimiro de Abreu, pelo menos até início da década de 1970.
    Meu tio Amaro Manhães trabalhou na Coletoria do Estado do Rio de Janeiro, no distrito de Santo Eduardo(Campos) durante as décadas de 50 e 60 do século passado, depois mudou-se para Campos.
    Minha tia Zenira Manhães casou-se com um funcionário do Banco do Brasil na década de 40 e peregrinaram pelo Mato Grosso e alguns municípios do Rio de Janeiro.
    Minha mãe Zenir casou-se com Nilo Teixeira de Carvalho, viveram uns poucos anos em Santa Maria e depois mudaram-se para o Rio de Janeiro , no bairro da Tijuca onde fui criado.
    Os filhos paranaenses vivem em Maringá, Niterói e Piraí.

    ResponderExcluir